Os milionários salários da F1

Ontem foram divulgados pelo Bussiness Book F1 os salários anuais pagos aos pilotos de Fórmula 1. Fazendo uma análise rápida, não temos nenhuma surpresa, já que os pilotos mais bem pagos, são os da Ferrari e Sebastian Vettel, aparecendo logo a seguir Lewis Hamilton e Jenson Button.


Até aqui nada de novo. O que se revela um pouco surpreendente é a diferença de vencimento entre 2013 e 2014. Apenas uma equipa consegue “poupar” algum: a Mclaren

O ano passado a Mclaren pagava 16 Milhões de Euros a Button e €1,5 M a Sérgio Pérez…em 2014,

continua a pagar €16 M a Button, mas poupa com o rookie Kevin Magnussen, que aufere €1 M por ano. Ou seja, a equipa de Woking poupa 500 mil euros por ano, o que não deve representar muito para uma das equipas com o maior budget do paddock.


No resto das equipas, temos um acréscimo de orçamento para pagamento dos vencimentos dos pilotos, como é normal de época para época. Mas ainda assim, existem casos algo “preocupantes”

A Lotus por exemplo, em 2013 não conseguiu, segundo várias noticias vinculadas nos media, pagar o salário a Kimi Raikkönen, que auferia €3 M por ano (hoje recebe da Ferarri €22 M!) e pagava €1 M a Romain Grosjean, mas conseguem pagar este ano €3 M a Maldonado e Grosjean, perfazendo um gasto de €6 M em salários, quando o ano passado apenas gastavam €4 M? O pagamento do lugar de Maldonado provavelmente paga o seu salário, no entanto, deve ser uma situação complicada para uma equipa que está com algumas dificuldades financeiras e ainda por cima, que não conseguiu até este momento retirar grandes vantagens do line up actual.

A Sauber é um outro exemplo. Paga actualmente €2.4 M aos seus pilotos (€2 M a Sutil e €0.4 M a Gutierrez) e ainda ocupa a 10ª posição na tabela de constructores, sem nenhum ponto conquistado. Em 2013, a Sauber pagava €1.2 M aos pilotos, €1 M a Nico Hulkenberge €200 mil a Gutierrez, terminando em 7º com 57 pontos. Podem retirar as vossas próprias conclusões!

A Caterham encontra-se quase, nos antípodas das duas anteriores equipas. Gasta o mesmo em salários que no ano passado (€300 mil), mas também pode provar que a gestão de Tony Fernandes (que entretanto vendeu a sua parte da equipa), não era para arriscar muito este ano.

A principal rival da Caterham, a Marussia, paga €700 mil a Chilton (€200 mil) e Bianchi(€500 mil), apenas mais €50 mil a mais do que em 2013, mas para já, com um bom resultado e se tivermos em consideração, que o salário de Bianchi provavelmente é pago, total ou parcialmente, pela Ferrari, o investimento na equipa russa é bem pensado e bem executado. Pelo menos no line up.

A maior conclusão que retiramos da lista que foi dada a conhecer, é a mesma que já retirávamos o ano passado e, aliás, desde algum tempo: existe uma grande diferença de investimento (e a capacidade de investir) nos pilotos, entre as grandes equipas e as mais pequenas. A Force India, por exemplo, paga €7 M de salários (em 2013 eram €900 mil!!) mas tem conseguido alguns êxitos e com muito esforço tem conseguido cimentar a sua posição na F1 actual, ao contrário da Lotus, como já explicamos atrás, ou mesmo da Toro Rosso.

Apenas mais uma chamada de atenção: dois dos pilotos mais em forma na primeira metade da temporada, Valteri Bottas e Daniel Ricciardo, auferem bastante menos que os seus colegas de equipa, que têm batido constantemente. O finlandês aufere €1 M e a Red Bull paga €750 mil a Ricciardo… Massa recebe €4 M e Vettel, uns míseros, €22 M!

A lista completa dos salários auferidos pelos pilotos de 2014:
Fernando Alonso (Ferrari) €22 M
Kimi Raikkonen (Ferrari) €22 M 
Sebastian Vettel (Red Bull Racing) €22 M 
Lewis Hamilton (Mercedes) €20 M 
Jenson Button (McLaren-Mercedes) €16 M 
Nico Rosberg (Mercedes) €12 M 
Felipe Massa (Williams) €4 M 
Nico Hulkenberg (Force India F1 €4 M 
Romain Grosjean (Lotus F1 Team) €3 M 
Pastor Maldonado (Lotus F1 Team) €3 M 
Sergio Perez (Force India F1) €3 M 
Adrian Sutil (Sauber) €2 M 
Kevin Magnuseen (McLaren-Mercedes) €1 M 
Valtteri Bottas (Williams) €1 M 
Daniel Ricciardo (Red Bull Racing) €750 mil 
Jean-Eric Vergne (Scuderia Toro Rosso) €750 mil
Jules Bianchi (Marussia) €500 mil
Esteban Gutierrez (Sauber) €400 mil
Daniil Kvyat (Scuderia Toro Rosso) €250 mil
Max Chilton (Marussia) €200 mil
Marcus Ericsson (Caterham F1) €150 mil
Kamui Kobayshi (Caterham F1) €150 mil

fotos:
retiradas das páginas de Facebook das equipas

Pedro Mendes

Um pensamento sobre “Os milionários salários da F1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.