WEC – As equipas, pilotos e carros dos LMP1 (híbridos)

A época do WEC já mexe muito e na próxima sexta feira tem inicio a sessão de 2 dias de testes com todas as equipas do mundial presentes (lista de entradas). O Prologue 2016, como é chamado, vai ser a primeira oportunidade para fãs e jornalistas poderem apreciar os novos carros, com especial atenção aos LMP1, e para as equipas terem uma noção da evolução dos adversários. Os carros da Audi, Porsche já foram divulgados, no entanto o novo Toyota ainda está envolto em algum segredo, mesmo as imagens do carro terem caído na net.

Porsche: A revalidação será possível?

Porsche 919 Hybrid #1 Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartle
Porsche 919 Hybrid #2  Romain Dumas, Marc Lieb, Neel Jani

porsche 919
Foto: Porsche

A Porsche chega à temporada de 2016 com as expectativas em alta, depois de ter sido a equipa mais forte durante o ano de 2015. Para além do campeonato mundial, a equipa levou de vencida as míticas 24h de Le Mans, numa corrida que nem sempre lhes correu de feição e que foi ganha pelo 3º carro da marca germânica. No entanto essa vitória em particular deu mais moral à Porsche que enfrentou lutas muito duras com a Audi durante todo o ano.

O novo 919 ainda não foi apresentado ao público, algo que será apenas feito no Prólogo, mas já é do conhecimento geral que a Porsche desenvolveu 3 pacotes aerodinâmicos diferentes (o máximo permitido no WEC): utilizarão o pacote com alta carga aerodinâmica até Le Mans, um outro pacote, desta vez com uma baixa carga aerodinâmica, na mais dura corrida do ano em Le Mans e o terceiro e último pacote será utilizado nas provas posteriores à prova francesa. A Porsche apostou também na redução do peso do motor e no consumo de combustível. O sistema híbrido foi totalmente melhorado, com um motor eléctrico no eixo da frente e um sistema de recuperação de energia localizado no extractor. A Porsche mantém o motor 2 Litros V4 turbo do ano passado, debitando mais de 900CV de potência.

A defesa do título faz-se com um melhorado 919 e com o mesmo line up do ano passado, que dá garantias de vitórias e muitos pontos importantes. Em equipa que ganha, não se mexe!

Audi: Com orgulho ferido, mas a pensar na reconquista do título

Audi R18 #7: Marcel Fässler, Benoit Treluyer, Andre Lotterer
Audi R18 #8: Lucas Di Grassi, Oliver Jarvis, Loic Duval

audi r18
Foto: Audi Sport

A Audi e a Porsche deram espectáculo em 2015, com as duas marcas “primas” (ou “irmãs”?) a serem as principais protagonistas de duras lutas, incluindo roda a roda, com todos os centímetros da largura das pistas a serem muitas utilizados pelos ases dos LMP1. Sem a Toyota a rivalizar com as duas marcas germânicas, os fãs dividiam-se entre a Audi e Porsche, mas no final a Porche levou a melhor, tendo o melhor carro durante quase toda a época.

 

Para 2016, e conforme as palavras do chefe da Audi Sport Team Joest, Dr. Wolfgang Ullrich, a Audi comprometeu-se em construir um novo R18, mais rápido, mais fiável e mais eficiente. Vamos ver durante o ano se o conseguiram, mas não há dúvidas que entre a Audi e a Porsche, a equipa de Ingolstadt foi a que teve mais trabalho para fazer.
Uma nova aerodinâmica do carro, com especial atenção para a frente muito bonita e assustadora para os adversários (a fazer lembrar os F1 de 2013 com uma abertura para entrada de ar bem pronunciada); o motor 4.0 Litros, V6 TDI foi modificado, enquanto todo o sistema híbrido é novo. O Audi R18 conta agora com um sistema de acumulação de energia em baterias e um aumento para 6 Megajoules, que aumentará em cerca de 50% a energia eléctrica disponível em relação aos modelos anteriores. No total, os pilotos podem contar com mais de 1000CV de potência no novo R18, sendo no entanto, o mais eficiente carro construído pela Audi Sport.

À semelhança da Porsche, a Audi não alterou nenhum dos seus pilotos e contará também com apenas 2 carros na prova de Le Mans, deixando de fora, infelizmente, Filipe Albuquerque.

Toyota: O regresso à boa forma?

Toyota TS050 Hybrid #5: Anthony Davidson, Sebastien Buemi, Kazuki Nakajima
Toyota TS050 Hybrid #6: Stéphane Sarrazin, Mike Conway, Kamui Kobayashi

toyota ts050
Imagem não oficial

Venceram em 2014 o título de pilotos e de equipas, mas em 2015 andaram arredados da luta pelas vitórias. A época de 2015 correu muito mal e a equipa japonesa tem este ano para mostrar serviço ou então ficam demasiadamente para trás na subclasse dos híbridos.

Se as várias derrotas de 2015 não assustam os japoneses e, conforme o seu vídeo promocional, têm de ser encaradas com coragem, 2016 deverá ser o ano em que a Toyota Gazoo Racing apresenta o carro que os levará de novo ao topo da competição. Se levarmos em consideração as imagens que vão aparecendo na net, sem serem oficiais, as mudanças a nível aerodinâmico são mais acentuadas que o novo R18 da Audi. Uma frente mais baixa que a concorrência e pouco mais se pode apreciar pelas fotos.
O que sabemos é que a Toyota teve mesmo de trabalhar bastante e as mudanças não se ficam pela aerodinâmica. Os japoneses avisaram ainda no final do ano passado que o motor seria a gasolina e não o utilizado desde 2012 pela marca, um V8. Possivelmente optaram por colocar um 2 Litros V4 turbo, como a Porsche, já que Pascal Vasselon, director técnico da equipa, avisou que teriam de colocar um motor mais pequeno devido à menor quantidade de combustível. O sistema de armazenamento de energia deverá também ter mudado, com a marca a não confirmar se optaram pelas baterias ao contrário dos supercapacitores utilizados até 2015. Sabemos sim, é que essa opção é estudada pela Toyota há anos.

No line up da equipa também houve mexidas, mas apenas porque Alexander Wurz deixou o WEC, entrando mais um ex-F1 para o mundial de resistência. Kamui Kobayashi foi o escolhido e mesmo tendo que fazer a adaptação ao híbrido, deverá apresentar-se na melhor forma logo no inicio das provas. É um piloto que deixou boas indicações na F1, mesmo não tendo tido muitas oportunidades no Grande Circo.

 

Em breve continuaremos a apresentação das equipas e pilotos do WEC, faltando apresentar duas equipas da classe LMP1, a Rebellion Racing e a ByKolles Racing Team, não fazendo parte da subclasse dos híbridos e como tal, não as quisemos colocar juntas.

Fiquem com um breve resumo do que foi 2015 no WEC:

 

Pedro Mendes

Anúncios

3 pensamentos sobre “WEC – As equipas, pilotos e carros dos LMP1 (híbridos)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.