F1 – GP do Bahrein: Haverá Party no deserto?

As coisas andam geladas para o lado da F1, mas o próximo destino do mundial vai ser tudo menos frio. Muito calor, no ar, na pista, dentro das motorhome… basicamente em todo o lado. Muitas são as questões que têm que ser respondidas durante este fim de semana no Bahrain.

Hamilton fará a festa no Sábado e precisará de um protector de estômago no Domingo ou Vettel terá de baixar o dedo? Bottas estará no sítio certo quando o colega precisar? Räikkonen vai sorrir algum dia? 

Quanto ao traçado do Bahrain, é obra desse mago do desenho que é Hermann Tilke, começou a ser construído em 2002. Demorou 16 meses a ser feito (o prazo inicial era de 2 anos mas Bernie Ecclestone pediu que demorasse 6 meses). O custo rondou os 113 milhões de euros. É considerado uma das mais modernas infra-estruturas do desporto automóvel, com 6 possibilidades de configuração de pista.

A areia que rodeia a pista pode-se tornar num problema, mas a colocação de protecções limita a entrada desta. As enormes escapatórias da pista são criticadas por não “puxar” pelos pilotos, pois as saídas de pista não são “castigadas”, como noutros circuitos. A pista em si não é muito difícil, com grandes rectas, 4 pontos de travagem mais complicados.

f1 bahrein
Foto: F1

Este GP tem lugar desde 2004, tendo sido cancelado em 2011, por causa das manifestações que ocorriam no pais, não estando reunidas as condições de segurança.

Pontos de interesse:

Lewis Hamilton ficou extremamente desagradado por ter sido segundo na Austrália e não quer que a situação se repita, com certeza. Até onde é que isso se pode repetir? Talvez se os astros se unirem de novo em volta de Sebastian Vettel isso pode acontecer, podemos pôr isso nestes termos.

O próprio Vettel afirmou que o Mercedes está muito mais à frente da Ferrari e por diversas vezes, até mesmo nos festejos da vitória na Austrália, avisou que ainda há trabalho por fazer. Embora Hamilton tenha também dito que espera um ritmo muito junto entre Mercedes e Ferrari, a verdade é que não nos parece. O que Hamilton precisa mesmo é de Bottas para a Ferrari não ter vantagem numérica se tentar de novo o undercut.

Aí é que reside a questão fulcral entre esta luta Mercedes vs Ferrari. O Bahrein pode marcar de forma muito profunda a vida de Bottas a médio prazo. O finlandês não ficou muito bem na fotografia na terra dos cangurus, e tem por isso, que fazer mais este fim de semana. Hamilton abordou esse tópico na conferência de imprensa da última prova, dizendo que a equipa está em primeiro lugar nas ambições de todos os membros.

Teremos party no deserto ou não?

Lewis Hamilton austrália
Foto: © Daimler AG

Para além da luta Mercedes-Ferrari, a Haas estará sobre os holofotes. A equipa norte-americana poderia ter tido um dos seus melhores rendimentos de sempre, mas dois azares colocou os dois carros de fora. Estará a Haas assim tão forte neste início de campeonato? Nós pensamos que sim. Afinal, sendo verdade que o Haas é um Ferrari disfarçado, no Bahrein pode fazer um brilharete onde Vettel venceu no ano passado.

Outro assunto do dia, é o facto de Fernando Alonso ter avisado que os próximos dois meses são cruciais para a McLaren. Dependendo do desenvolvimento que a equipa poderá fazer ao MCL33, vamos também perceber o nível de ambição da nova união entre a McLaren e a Renault. O espanhol afirmou que ainda existe alguma diferença entre a Mercedes, Ferrari, Red e a McLaren, mas que essa diferença apenas pode ser reduzida conforme o trabalho da estrutura de Woking. Na Austrália, Alonso conseguiu tapar todos os esforços de Verstappen para o ultrapassar, mas no Bahrein, se tal tornar a acontecer, deverá ser mais dificil. Depende muito da máquina britânica, porque do piloto só podemos esperar coisas boas.

fernando Alonso 2018
Foto: McLaren

Uma última palavra, que possivelmente nem vai ser lida, para aqueles que escreveram que a corrida da Austrália foi enfadonha e que este é o estado da F1 actualmente, se calhar na linha de raciocínio de Alonso ontem. Viram a F1 em 2017? Quantas ultrapassagens existiram na Austrália? E no restante da época?

Quer isto dizer que, é fácil escrever nas páginas de jornais que a F1 é enfadonha quando temos outros gostos e quando sabemos que vai tornar fácil os comentários dos leitores. O que é mais difícil é ter uma opinião vincada e argumentar a favor. Não digo que possam ter essa opinião, mas escrevam mais alguma coisa que não seja sobre as poucas ultrapassagens na Austrália, nem no Mónaco, já agora.

Sim gostamos de ultrapassagens, mas basta isso para tornar uma corrida interessante?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.