F1 – Shoey time na China ou em como pensa Ricciardo, “Holy Testicle Tuesday”

Ainda tivemos que abrir bem os olhos e passar água pelo rosto só para confirmar mesmo que não tivemos um sonho. Depois de meia corrida em modo de guerra fria, com muita táctica pelo meio, Daniel Ricciardo e a Red Bull, deram alegria e magia aos fãs. Já Max Verstappen fez das suas.

Durante as primeiras voltas do GP da China, assistimos aos 6 pilotos da frente separados sempre com alguma distância e por isso, não houve nenhum momento que nos fizesse arregalar os olhos, no entanto, mais atrás lutava-se bem, com pilotos a assumirem as despesas da corrida, como Magnussen, que voltou a dar nas vistas, ou Fernando Alonso, que devagarinho subia na tabela.

Vettel liverava, com Bottas a assumir a perseguição, depois de ter ultrapassado Raikkönen na largada. Verstappen era 4º, Hamilton 5º e Ricciardo 6. Na primeira paragem para trocas de pneus, a Mercedes consegue dar a volta à situação, conseguindo um undercut perfeito a Vettel, colocando Bottas na liderança.

Até que Pierre Gasly decidiu tentar uma ultrapassagem ao seu colega de equipa, Brendon Hartley, sem muito espaço para o fazer. O resultado foi Hartley a fazer um pião e a entrada do Safety Car para a limpeza da pista.

Aí tudo mudou. Os Red Bull chamaram os carros à box para colocarem os pneus macios, os mais rápidos em pista, enquanto todos os outros da frente, se deixaram ficar em pista com os pneus médios da primeira paragem.

Os Bull’s saíram da box com a certeza que iriam ser os carros mais rápidos da frente, mas seriam capazes de ultrapassar Hamilont, Raikkönen, Vettel e Bottas para arrecadar uma vitória para um dos carros?

Max Verstappen bem se esforçou, aliás a nosso ver, até demais. Max tentou ultrapassar Hamilton, mas o britânico fechou-lhe bem a porta, obrigando na sua segunda tentativa, a ir à relva perdendo a posição para o seu colega de equipa, Daniel Ricciardo. E aqui começou a magia do Sr. Sorrisos.

Ricciardo ensinou Verstappen como se ultrapassava Hamilton com mestria e depois colocou-se logo na cola de Kimi. Até chegar à liderança, Ricciardo não foi com demasiado sede ao pote, tendo na nossa opinião, a ultrapassagem a Bottas a melhor que fez em Xangai. Ao contrário, esteve Verstappen. O miúdo tentou passar Vettel no cotovelo depois da recta interior, mas não tinha espaço, porque o alemão da Ferrari fechou muito bem. Os dois fizeram um pião, com Vettel a perder muitas posições, até mesmo para Alonso perto do final, parecendo não ter ficado com o Ferrari nas melhores condições. Para Max, uma penalização de 10s. O holandês ainda conseguiu ultrapassar novamente Hamilton, mas com a penalização terminou em 5º, enquanto Vettel em 8º. Merecia mais?

No final, a Red Bull estava de parabéns e esquecia o erro de Verstappen. Depois de quase ficar arredado da Q1 por causa do problema do turbo no FP3, Daniel Ricciardo conseguiu passar de 6º na corrida para uma grande vitória, a 6ª da sua carreira. Já há quem diga que a Mercedes encontrou o seu piloto para 2019… Não deve ser assim tão fácil!

 

foto de capa: Clive Mason/Getty Images
Anúncios

Um pensamento sobre “F1 – Shoey time na China ou em como pensa Ricciardo, “Holy Testicle Tuesday”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.