TCR – Fim-de-semana azarado para Edgar Florindo

Edgar Florindo tinha uma missão difícil na ronda de Aragão. Competir num circuito totalmente desconhecido para o piloto, mas trabalhar para tentar chegar o mais longe possível no Motorland. Tal, não foi possível por diversos azares, que marcaram decididamente o fim-de-semana do vilarealense.

Com apenas um treino livre para se ambientar ao traçado aragonês, Edgar Florindo partiu para a pista e sentiu que a direção do Cupra TCR não estava nas melhores condições. Ainda tentou prosseguir no necessário treino, mas teve que parar nas boxes da equipa, onde foi identificado o problema, um apoio de direção teria cedido, perdendo o tempo que restava da sessão tanto para aprender o traçado como para desenvolver um bom set up para o carro.

Com o problema resolvido por parte da sua equipa, Edgar Florindo entrou na sessão de qualificação de Sábado na tentativa de marcar tempos rápidos, prosseguindo com a aprendizagem sobre a pista, que ainda era longe da ideal.

Novo azar bateu à porta. Um furo no segundo período da sessão obrigou-o a parar e não continuar em pista, mesmo tendo notado que o seu ritmo podia chegar aos dos pilotos adversários mais rápidos com mais algumas voltas.

Edgar Motorland - box

“Praticamente não tive tempo de adaptação ao traçado no único treino livre que dispúnhamos, pois tive este problema ainda só estava feito 1/3 do treino. Outra situação negativa foi a organização decidir retirar um treino livre o que afetou todos os pilotos, mas a mim principalmente, pois nunca tinha andado neste circuito e precisava de voltas para ir para a qualificação em pé de igualdade em termos de conhecimento de pista. A qualificação surgiu como sendo os verdadeiros treinos livres, mas ao mesmo tempo tinha que fazer a melhor volta possível. Tinha ritmo para, em poucas voltas, chegar perto dos mais rápidos e foi o que aconteceu. Dado o desconhecimento da pista e as voltas que tinha a menos em relação aos adversários, poderei considerar que foi uma boa qualificação, mesmo com o furo no pneu frontal esquerdo na parte final, penso que fiz uma boa qualificação e principalmente sabia que em corrida podia obter um resultado positivo.”

Nos instantes iniciais da primeira corrida de 55 minutos + 1 volta, uma pedra seria projetada por outro carro em direção ao Cupra nº13 de Edgar Florindo, partindo o vidro da sua porta esquerda e no meio dessa confusão, na travagem para a curva 1, um pequeno toque num protótipo que seguia à sua frente, e que travava cedo de mais para a curva, acabaria por partir o radiador do carro. Para esse problema não originar um sobreaquecimento do motor, o piloto foi obrigado a parar de imediato respeitando o alerta do carro.

A equipa fez testes no motor do Cupra e tudo indicava que estava apto a fazer a segunda corrida no dia seguinte. Edgar Florindo regressou à grelha de partida para a corrida 2 de Domingo, mas o motor sobreaqueceu ainda na volta de alinhamento e impossibilitou-o de iniciar a prova, dando por terminado um fim-de-semana frustrante.

Edgar Motorland - sponsors

“Quem compete no desporto motorizado sabe que são azares que podem sempre acontecer. Este fim-de-semana foi talvez o pior que tive desde que estou nos TCR, realmente farto em azares, mas nada de desanimar. Tenho de dar uma palavra de incentivo à Veloso Motorsport, pois resolveu os problemas todos que fomos tendo. Tenho pena que estes carros sejam tão sensíveis a estes pequenos toques frontais e que os alarmes sejam acionados tão tardiamente, praticamente quando o motor já está com algum problema no seu interior, não dando informação aos pilotos de quando o nível de água começa a baixar. Julgo que é uma boa sugestão de melhoria, colocarem um sensor de nível no reservatório da água destes carros. A Veloso Motorsport fez todos os testes possíveis no local, desde teste de compressão, funcionamento de circulação da água e arrefecimentos, etc e tudo indicava que poderia alinhar sem problemas na corrida 2. No entanto, quando fui à pista e testei o carro em carga, começou a aquecer. Saio triste, mas convicto que sem estes problemas poderia ter mostrado bastante mais. Este fim-de-semana tive azar, mas estou pronto e motivado para abraçar a próxima corrida.”

Edgar Florindo prosseguirá a sua carreira de piloto nos TCR com a dose certa de ambição e sempre com vontade de trabalhar.

O piloto tem o apoio da TOP CAR, MAN TAR Braga, FLIEGL Trailer, BRINCAR Automóveis, Azenha de Vilarinho dos Freires, Banco BPI, RSM, PUBLISERV e Transportes Rui Florindo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.