CPR – Tarde inspiradora de Fontes

José Pedro Fontes foi o vencedor do Rali Amarante Baião. O piloto do Citroën C3 R5 teve uma tarde tremenda já que recuperou a desvantagem de mais de 5s que tinha para João Barros no final da manhã, para vencer a prova e deixando o piloto do Skoda a 5s.

A “pausa” para almoço foi bastante bem aproveitada para alterar algumas configurações no Citroën e o piloto fez aquilo que sabe, que é pilotar como um campeão.

João Barros, que se estreou com o Skoda em Amarante Baião, deu o melhor de si, mas as etapas mais técnicas mostraram ainda alguma falta de à vontade com o novo carro e talvez por isso, o piloto não tenha conseguido aguentar Fontes.

Armindo Araújo foi terceiro, tendo também ele, recuperado o lugar a Ricardo Teodósio. Araújo está muito perto de garantir o título nos R5.

Miguel Barbosa fechou o top5, num rali que não correu como o piloto esperaria. Atrás do piloto do Skoda ficou Diogo Gago que aproveitou bem a oportunidade na Hyundai e na sua estreia nos R5, tendo terminado o rali sem nenhum susto de maior e sem problemas na máquina. Agora o foco volta a ser o Peugeot 208 Cup, onde pode ainda ser campeão.

Nos RGT Vítor Pascoal venceu e está perto de se sagrar campeão na categoria. Em duas rodas motrizes foi o regressado Bernardo Sousa que venceu. Daniel Nunes, que fechou o pódio, ainda esperava pelas contas finais do Rali para saber se era campeão nessa categoria, à hora em que escrevemos este texto.

A última especial não trouxe novidades em termos de classificação nos Clássicos, com Joaquim Bernardes/Laurinda Alves (Volkswagen Golf GTi) a vencer todos os troços disputados vindo a terminar com 6m49s de vantagem. Cipriano Antunes/Fernando Almeida (Audi Quattro) cedo se instalou na segunda posição, vindo a terminar com 31 segundos de vantagem sobre a dupla espanhola German Fortes/Félix Suarez (Ford Sierra RS Cosworth), que fechou o pódio.

Ricardo Matos /Carlos Matos dominaram a prova quase de fio-a-pavio e adiaram luta pelo título na Taça FPAK. A dupla do Mitsubishi Lancer IX venceu todas as especiais com exceção da última, já que nos metros finais a transmissão traseira cedeu, obrigando a levar o pé. Um “susto” que não comprometeu o resultado final, e que lhe permite adiar a decisão do título para a derradeira jornada.

Pedro Silva/Alexandre Rodrigues (Peugeot 208 R2) jogou ao ataque na última especial, rubricando o melhor tempo, e segurando assim o segundo posto final, diante de Manuel Pinto/Francisco Martins (Skoda Fabia R2) que fechou o pódio.

A classificação geral do Rali Amarante Baião, aqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.