Estrada/Ensaio – Pelo Douro Vinhateiro com dois coreanos (Parte 1)

Estava uma bonita e quente tarde de verão (apesar de já ser outono), quando fomos buscar dois automóveis aos Irmãos Leite Concessionários em Vila Real, para fazermos o nosso primeiro ensaio automóvel à séria. É uma nova rubrica do Chicane Motores, que vamos tentar levar em frente.

Eis o nosso primeiro ensaio de estrada!! Uma estreia há muito desejada por nós. Admitimos que imaginamos começar com um comparativo entre um Ferrari e um McLaren, mas depressa chegamos à conclusão que temos de comer muita sopinha para chegar aí, pelo que o convite feito pelos Concessionários Irmãos Leite em Vila Real foi recebido com a devida festa. O convite chegou para testarmos o renovado Hyundai i20 e o novo KIA CEED. Aceitamos de imediato pois carros são carros, mas não estavamos à espera de ser surpreendidos por estas propostas. Vamos então começar pelo Hyundai.

Para este ensaio o i20 veio equipado com o motor a gasolina 1.0 T-GDI de 100 cv. Estas novas motorizações de apenas 3 cilindros turbo e 1.0L de cilindrada são cada vez mais importantes nas vendas, pela preferência do cliente em vez dos típicos motores a gasóleo.

Não se esqueçam do Hyundai Free Pass de 11 a 14 de Outubro nos Irmãos Leite Concessionários. 

 

Hyundai i20 1.0 T-GDi Style

O renovado Hyundai i20 surpreendeu-nos pela positiva. Tem uma imagem fresca e jovem, com uma grande grelha frontal, uma traseira bem conseguida e  faróis escurecidos. Mas também tem coisas que não ficamos fãs. No interior, por exemplo, os plásticos duros, que estão por todo o lado, de cima a baixo, uma característica semelhante à grande maioria dos carros deste segmento. A falta de cor do interior é também algo que se nota, especialmente num carro citadino que poderia ter um interior mais acolhedor para as desventuras do dia a dia. Mas apesar disso, está tudo muito bem construído, sem folgas nem ruídos parasitas.

 

A nível de espaço a bordo, quatro pessoas viajam de forma desafogada, há ainda bastantes espaços de arrumação e a mala também é bem generosa. Em relação ao equipamento, o i20 vem carregado: vidros eléctricos à frente e atrás, vidros escurecidos, luzes e escovas com modo automático, ecrã multimédia de 7″ com Apple CarPlay e Android Auto e vários sistemas de ajuda à condução. Normalmente, neste segmento este tipo de extras pagam-se à parte ou não existem. Quem compra um i20 vai muito bem servido, isso é garantido.

Debaixo do capot estava um motor de 3 cilindros turbo com 1.0L de cilindrada com 100cv que chegam e sobram para as encomendas. Rápido a responder, com uma caixa bem escalonada que ajuda a ganhar velocidade com rapidez. Já nas recuperações a coisa não é muito famosa, pois em 4ª se deixamos cair a rotação abaixo das 2.000 rpm, torna-se difícil voltar a desenvolver sem ter que reduzir para 3ª ou 2ª, isto numa subida íngreme. Mas é um motor bom, espevitado q.b e bem adaptado para o trânsito nas cidades, o território de preferência deste pequeno coreano.

 

A nível de condução, o Hyundai i20 comporta-se muito bem. As suspensões filtram razoavelmente bem os buracos e as imperfeições do solo. Em condução fora da cidade, o i20 não tem medo das curvas. Podemos acelerar com segurança porque só em velocidades já um pouco elevadas, é que sentimos a traseira a querer fugir, mas nada que assuste. Para quem gosta de condução mais viva, até se pode tornar numa coisa divertida. Já os travões, apesar de ter disco nas 4 rodas, quando carregamos no pedal do travão, convém ser com força para não apanharmos sustos desnecessários.

Em balanço geral, este renovado Hyundai i20 ganhou novos argumentos para se bater com os rivais. Com uma boa imagem, bem construído, repleto de equipamento, seguro e bem adaptado à vida complicada nos centros urbanos. Um carro muito competente.

Opinião dos “não-especialistas”:

O i20 foi o primeiro carro que eu (Fábio Mendes) e o Pedro conduzimos e claro que olhamos para ele com aquela cara que o Neuville faz quando pega no Hyundai dele. Mas como era o primeiro ensaio e tivemos medo de fazer de Latvala, fomos a um ritmo adequado à situação. Pessoalmente a condução do i20 agradou-me pelo feeling da caixa e da direcção. E mais uma vez o motor foi uma agradável surpresa e adequa-se muito bem à máquina em questão. Os equipamentos deixaram-me satisfeitos pois nos citadinos espera-se um pouco menos. O preço também se reflecte o que é inevitável, mas tem pormenores que facilitam a vida a quem passa tempo na cidade a enfrentar o trânsito.

De todos os Hyundai, o i20 era o menos apelativo talvez por ser o mais simples, mas depois do teste mudei a minha opinião. Não tem o apelo de outros modelos da marca, mas tem a simplicidade de quem faz bem o seu trabalho, sem demasiados floreados. Como ferramenta de transporte está certamente muito bem conseguido com a qualidade que os coreanos têm demonstrado nos últimos tempos (um grande ponto a favor) e como carro para quem gosta de pedir desculpa quando passam por uma lomba a uma velocidade maior, tem também argumentos a favor. Tem uns tiques de Sr. Aborrecido mas isso é para nós que temos a mania que um carro é mais que uma máquina de transporte. É no geral um bom carro e uma boa escolha.

Nota 3.5 / 5 para um carrinho bem equipado e muito competente.

 

 

Ficha técnica:

Motor
Tipo 1.0 DOHC CVVT (T-Gdi)
Cilindrada(cm3) / diâm.xcurso: 998 / 71.0 x 84.0
Potência máxima (CV/rpm): 100 / 4.500
Binário máximo (Nm/rpm): 171,6 / 1.500 ~ 4.000
Transmissão Manual 5MT
Tracção Dianteira

Prestações (segundo dados da marca)
Aceleração dos 0 – 100 km/h: 10.7s
Velocidade máxima km/h: 188
Consumos: Cidade 5.8; Estrada 4.5; Misto 5.0
Emissões CO2 (g/km): 115

Segurança (de série)

6 Airbags (Condutor, passageiro, laterais dianteiros e de cortina), ABS e EBD, Alarme e imobilizador, Alerta de esquecimento de colocação do cinto de segurança, Bloqueio automático das portas (após o arranque), Câmara de auxílio ao estacionamento traseiro, Cintos de segurança dianteiros com regulação em altura, Controlo de Arranque em Subida (HAC), Controlo Eletrónico de Estabilidade (ESC), Faróis de nevoeiro dianteiros, Gestão da estabilidade do veículo (VSM), Indicador de perda de pressão dos pneus (TPMS), Luzes de travagem de Emergência no Spoiler (HMSL), Pneu de socorro temporário, Sensor de chuva (Limpa para-brisas de ativação automática), Sensor de luz (Faróis de acendimento automático), Sensores de estacionamento traseiros, Sistema de Manutenção à faixa de rodagem (LKA).

Conforto (de série)

6 Altifalantes, Apoio para braços dianteiro com compartimento para arrumações, Ar condicionado automático 1 zona com sistema de desembaciamento automático, Chave retráctil com comando à distância, Coluna de direção com regulação manual em altura e profundidade, Comandos no volante, Cruise Control, Vidro do condutor com função automática, Vidros dianteiros e traseiros elétricos.

Exterior (de série)

Capas dos espelhos exteriores com acabamento preto, Espelhos retrovisores com indicadores de mudança de direção em LED, Espelhos retrovisores com recolha e regulação elétrica, Faróis de dupla projeção (bi-funcionais) em halogéneo, Jantes em liga leve de 16″, Luzes de circulação diurna em LED, Vidros laterais traseiros e óculo traseiro privativos.

Preço (da unidade ensaiada): 18.916,09€

 

Agradecimentos:

Irmãos Leite Concessionários Logo

Ensaio realizado: Pedro Mendes, Fábio Mendes e Fábio Guedes
Texto: Fábio Guedes, Fábio Mendes e Pedro Mendes
Fotos: Chicane Motores

Anúncios

2 pensamentos sobre “Estrada/Ensaio – Pelo Douro Vinhateiro com dois coreanos (Parte 1)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.