Estrada – Porsche Taycan: o primeiro elétrico de Zuffenhausen

Com muita pompa e circunstância foi apresentado na semana passada, o primeiro carro 100% elétrico da Porsche. O Taycan a meu ver é talvez o automóvel elétrico mais bonito a nível de design do mercado. Quem não perceber do assunto até pensa que é mais um novo modelo da marca alemã com o habitual motor boxer!

Com quatro portas e quatro lugares, a Porsche apresenta o Taycan como sendo um modelo desportivo de altas performances. Um modelo para dominar e ditar as regras no mercado elétrico, como o 911 dita no mercado dos motores de combustão. Veremos!

A Porsche dividiu o Taycan em duas versões (para já, mais tarde chegam as versões mais acessíveis e com menos autonomia), e isso causou alguma “má língua” na internet. Tudo porque as duas versões se chamam Turbo e Turbo S. Não são os apelidos mais indicados para um carro 100% elétrico digo eu, mas foi assim que foram batizados. Segundos os responsáveis da marca alemã, estes nomes passaram também para este modelo, de forma a dar seguimento aos apelidos de “família” usados nos outros modelos do catálogo.

Ora então o Taycan usa dois motores elétricos síncronos, um por cada eixo, tendo assim tração integral. Na versão Turbo este modelo apresenta uma potência de 680 cv (500 kW) e 850 Nm, já na versão Turbo S passa a debitar 761 cv (560 kW) e 1.050 Nm.

Assim a Porsche garante uma velocidade máxima de 260 km/h para ambos. Já a aceleração dos 0-100 km/h é de 2,8s para o Turbo S e de 3,2s para o Turbo. Mas como estamos a falar de um carro elétrico, a autonomia é um fator muito importante, e aqui o pacote de baterias com 93,4 kWh garante 450 km para a versão Turbo e apenas 412 km para a versão Turbo S.

O Taycan é diferente dos outros ao usar uma caixa com duas velocidades, igual à da Fórmula E, com a primeira velocidade a funcionar só para o arranque e a segunda a garantir o funcionamento a velocidades constantes. Segundo os engenheiros da Porsche permite um menor gasto de bateria e uma maior performance.

Diferente também é a sua voltagem. O Taycan tem uma tensão de 800 V em vez dos habituais 400 V de outros modelos elétricos, o que permite carregar as baterias até uma potência de 270 kW. Ou seja, carregar dos 5 aos 80% em apenas 22,5 minutos. Claro que no nosso país não é bem assim, especialmente se forem aos carregadores da Mobi.E, onde se podem preparar para esperar várias horas!

Quando entramos para o interior temos todo o requinte e qualidade com que a Porsche sempre nos habituou. Excelente construção, com excelentes materiais e uma ausência quase total de botões físicos. Tudo está organizado em ecrãs táteis. A nível da bagagem contamos com uma mala na traseira com 336l e outra na frente com mais 81l de capacidade.

Como é um Porsche tinha que ter aquele feeling à 911 e para isso conta com muitos dos sistemas utilizados nessa já lenda desportiva, como é o caso do PASM (Porsche Active Suspension Management), do PTV (Porsche Torque Vectoring Plus) e do PDCC Sport (Porsche Dynamic Chassis Control Sport). Já em estreia neste modelo está o Porsche 4D Chassis Control, que analisa a estrada em tempo real, além de quatro modos de condução.

O Porsche Taycan já está disponível para encomenda no nosso país e os preços não são nada meigos, meus amigos. O base para a versão Turbo é de 158.221€ e para a versão Turbo S é de 192.661€. A Porsche anuncia este Taycan como o melhor elétrico desportivo do mercado, capaz de proporcionar grandes doses de adrenalina e divertimento ao volante para todos os aficionados da condução. Depois de tanto tempo em desenvolvimento, não se espera outra coisa deste Taycan. Mas se o compararmos com o seu mais direto rival, apenas nas fichas técnicas, o Taycan fica um pouquinho abaixo. Claro que sabemos que na vida real, as fichas técnicas valem o que valem, mas Elon Musk já se gabou disso!

Em exemplo, o Tesla Model S P100D anuncia uma potência de 772 cv que lhe permite ter uma velocidade máxima de 261 km/h, uma aceleração dos 0-100 km/h em 2,6s, além de uma autonomia de 590 km (segundo os novos testes WLTP). Com um preço base para a versão Performance (a mais cara da gama) de 106.600€. O que leva a nossa conta bancária a perguntar: será que os 86.061€ que a Porsche leva a mais, compensa o feeling desportivo, a beleza exterior e os interiores de melhor qualidade face ao modelo da Tesla?!

Deixo a resposta para vocês, digam nos comentários qual dos dois preferiam comprar, tendo o dinheiro e querendo um elétrico de topo.

📸 NetCarShow.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.